AIR_FRANCE_LASTO mundo amanheceu no primeiro dia de junho tomando conhecimento, através da imprensa internacional, da tragédia do desaparecimento do avião da Air France, com 228 passageiros a bordo, que fazia o percurso entre a cidade do Rio de Janeiro e Paris.

 

Ouvindo os relatos jornalísticos sobre o triste acontecimento, eu e minha esposa nos encontrávamos no aeroporto Laguardia, em Nova Iorque, aguardando a chamada para o nosso embarque, com destino ao Brasil, depois de realizarmos abençoadas conferências para famílias nos Estados Unidos.

 

Olhei para a fisionomia daqueles que, assim como nós, se preparavam para iniciar uma viagem e fiquei a pensar naqueles que embarcaram no vôo da Air France que não chegou ao seu destino final. Ao embarcarem naquela aeronave, todos tinham os seus planos, projetos e sonhos, os quais foram interrompidos inesperadamente. Logo que embarcamos e começamos a voar, resolvi abrir o meu computador e escrever este texto.

 

A vida é assim! De um momento para o outro, os planos, sonhos e projetos podem ser interrompidos, sem aviso prévio e o pior, muitas das vezes, sem nos oferecer nenhuma outra oportunidade de preparo e acertos de erros cometidos.

 

Aqueles que embarcaram no vôo da Air France e em outros vôos no passado, como o da TAM e da GOL (esses mais recentemente), jamais podiam imaginar que uma tragédia desta magnitude aconteceria. Isso sem mencionar outros acidentes e acontecimentos fatais que são registrados todos os dias e em todas as partes do mundo.

 

É por isso que, como declara a Bíblia, “não sabemos o que acontecerá amanhã. Porque que é a nossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece”(Tiago 4:14). Devemos viver pois a vida, na perspectiva dos valores eternos e espirituais, fundamentados numa fé que faça diferença no presente e no futuro!

 

Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, para que possamos “contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio” (Salmo 90:12). Amém!