Nos dias atuais, existe uma tendência em querer se definir os “modelos de igrejas” e alguns defendem as suas teorias de forma tão incisiva, que ignoram os que pensam de maneira diferente. Existem os que defendem os métodos conhecidos como “tradicionais”, que não conseguem ver nada de bom em qualquer outra metodologia; outros, defendem somente o “contemporâneo” e desconsideram a história e o passado da igreja; e o que falar daqueles que advogam a idéia de um “modelo específico”,  e que muitas vezes, agem como se o modelo que passam a adotar fosse a descoberta mais extraordinária desde quando o Senhor Jesus Cristo organizou a sua igreja?

Recentemente, proferi no púlpito da minha igreja uma mensagem sobre o que denominei “pilares da igreja de Cristo”, baseando-me nas palavras do apóstolo Paulo quando escreveu ao seu filho na fé, o jovem Timóteo. Paulo fez uma afirmativa que considero de muita relevância, quando pensamos sobre a igreja de Cristo. Ele declarou: “Para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade.”(I Tim. 3:15 RC).

Assim sendo, gosto de pensar que a igreja que agrada a Deus possui, entre outros, um culto onde a ADORAÇÃO celebra o Deus vivo. Hoje, temos a tendência em usar o tempo do culto com tantas coisas que em nada edificam o povo de Deus e particularmente não celebram ao Senhor.

Um segundo pilar que gostaria de destacar na igreja que agrada a Deus, é a PROCLAMAÇÃO da palavra de Deus. Quantas vezes gastamos tanto tempo com informações e programas que em nada contribuem para o fortalecimento de vidas, enquanto deixamos o tempo que sobra para a exposição da Bíblia Sagrada. É a proclamação da Palavra de Deus que abençoa o povo de Deus.

Também, sempre que penso na igreja que agrada a Deus, vem à minha mente a COMUNHÃO que une o povo de Deus. Somos desafiados a cultivar a “koinonia”.

Finalmente, destaco os dois últimos pilares: A EDUCAÇÃO, que prepara o povo de Deus para o SERVIÇO. É impossível pensar numa igreja que agrada a Deus quando essa deixa de lado a educação cristã; quando não valoriza a Escola Bíblica Dominical e o Discipulado; quando não prepara o crente para o SERVIÇO cristão, pois este também é um pilar de grande relevância.

Este é o programa básico da igreja, que confirma as palavras do próprio Senhor Jesus Cristo quando, ao organizar a igreja, declarou: Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.(Mateus 16:18). Que Deus nos abençoe!