Vivenciar esta recomendação bíblica, talvez seja uma das mais difíceis atitudes da vida cristã. Como exercitar esta prática? Em muitas ocasiões, somos injustamente perseguidos,  caluniados,  mentem a nosso respeito e o que mais nos entristesse é  constatar que  isso tenha partido de pessoas ditas cristãs, estando até mesmo em nosso meio e em nossas igrejas.

Lembro-me do episódio de um cristão que certa feita, procurou o seu líder religioso, solicitando orações em seu favor, pois estava sendo permanentemente perseguido por seu vizinho. Depois de alguns meses, sem que nenhum outro comentário tivesse sido feito por aquele homem que solicitara orações, o mesmo foi procurado pelo seu lider religioso, interessado em saber o que tinha acontecido com o seu vizinho perseguidor, ao que respondeu o cristão: “Eu o matei!” – Como isso aconteceu? Perguntou o religioso. A resposta foi clara: “Todas as vezes que ele me fazia o mal, eu retribuia com o bem e assim o matei!”

Já experimentei e tenho conhecimento, vez por outra, de pessoas que sofreram na carne por terem sido alvo de situações que nada condizem com os valores que o cristianismo nos apresenta. Falta de amor, compreensão, ética, verdade, coerência, sensibilidade e, acima de tudo, verdadeira espiritualidade. Muitas vezes somos tentados a pagar com a mesma “moeda” aquilo que experimentamos, porém, se nos apresertarmos a Deus, como servos comprometidos com Ele, seremos conduzidos pelo Espírito Santo à adotarmos uma postura totalmente diferente daquela que sofremos e seremos glorificados por Deus.

A Palavra de Deus nos exorta com vários textos sagrados, sobre como devemos nos portar diante dessas situações que, infelizmente, muitas vezes nos alcançam:

a) Entregue a Deus a sua dor. “Não se alegre quando o seu inimigo cair, nem exulte o seu coração quando ele tropeçar, para que o Senhor não veja isso e Se desagrade e se desvie dele a Sua ira” (Provérbios 24.17-18)

b)Vença o mal com o bem.Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele, e o Senhor recompensará você” (Provérbios 25.21-22).

c) Confie plenamente em Deus. Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. Se plantar no terreno da sua natureza humana, desse terreno colherá a morte. Porém, se plantar no terreno do Espírito de Deus, desse terreno colherá a vida eterna.Não nos cansemos de fazer o bem. Pois, se não desanimarmos, chegará o tempo certo em que faremos a colheita.Portanto, sempre que pudermos, devemos fazer o bem a todos, especialmente aos que fazem parte da nossa família na fé.” (Gálatas 6:7-10).

Com certeza, vale a pena investir neste santo propósito! Que Deus nos abençoe!Amém!