E QUEM SALVA O JORGE?

tv_brasileiraQue as novelas da televisão brasileira estão em queda há tempos, não é segredo para ninguém. Quando achamos que chegaram ao limite do tétrico, aparece uma de nível ainda mais baixo.

A Rede Globo exibe, desde 22 de Outubro passado, o folhetim de Glória Perez, “Salve Jorge”. A polêmica intalou-se logo e muito comentário alimentou o palavlório na mídia e nos ambientes eclesiásticos. Precisei ir à pesquisa para entender o eixo da balbúrdia.

A autora tenta conectar a controvertida história de Jorge (275-303d.C.), conde da Capadócia (hoje parte da República da Turquia), epecialmente o mito “O dragão e a princesa”, onde Jorge teria matado um dragão ao qual já haviam sacrificado todas as donzelas de Sylén, na Libia, com excessão da princesa Sabra, filha do rei do Marrocos e do Egito. Ela seria oferecida ao dragão no dia seguinte ao da chegada de Jorge na cidade. Segundo a lenda, Jorge se colocou com seu cavalo à frente do cortejo que levava a princesa, atacou o dragão e o matou, cravando sua lança no pescoço da fera. O rei, não querendo que sua filha se casasse com um cristão, tentou armar para que Jorge fosse morto, mas o mesmo escapou e fugiu com Sabra para a Inglaterra, onde casaram-se e foram felizes.

No folhetim, a intenção é reproduzir a saga, numa tentativa de releitura contemporânea. Os temas do tráfico de mulheres, contrabando de crianças, drogas, prostiuição, adultério, traições, negociatas, dentre outros, são habilmente tecidos visando fazer emergir um herói-galã que deverá ser feliz com a princesa da novella. Isto acontece após desbaratar uma quadrilha militante no tráfico de drogas, crianças e mulheres na ponte Rio de Janeiro – Turquia. Tudo isso, é claro, num caldo de muita sensualidade, materialismo, egoismo e intrigas, especilidades da emissora.

No entando. as situações problemáticas da novela, envolvendo pessoas nas mais baixas, degradantes e sujas confusões e tramas, são sórdidas e pérfidas. E ainda há o refrão: “Salve Jorge!” sendo repetido no início e no final de cada bloco. Isso para sugerir que Jorge vai intervir e atuar no desfazer de cada nó que Gloria Perez e a equipe da Globo fizeram. Em geral, tratam-se de situações muito presentes na vida real, embora no site da novela encontramos a afirmação dizendo: “Esta é uma obra coletiva de ficção baseada na livre criação artística e sem compromisso com a realidade”. (tvglobo – novelas -salve-jorge-creditos). Irônico, no mínimo.

Os rolos e as interações pernósticas e abusivas são tão vulgares e, ao mesmo tempo, complicadíssimas do ponto de vista das relações humanas, que a gente fica com pena do Jorge. Se ele tiver que agir em cada bagunça da novela, tadinho dele. Será feliz se ao menos conseguir que toda sua reputação de herói não caia por terra.

Que a podridão das telenovelas não invada a vida dos brasileiros, uma vez que as mesmas já lhes invadiram os lares!

Diz a história que Jorge foi um cristão exemplar, que jamais negociou suas convicções cristãs e nunca abriu mão de sua fé em Jesus. Tornou-se mesmo um mártir, por recusar negar sua fé em Cristo. Tomara que este folhetim não apague o que há de bom na biografia do conde da Capadócia.

Que Deus salve o Brasil do Jorge da saga e que o Jorge da história seja salvo das garras do folhetim bestial, já que não o conseguiu ser da crendice popular alimentada por Roma.
_______________________
Lécio Dornas é o Coordenador do Ministério Brasileiro da American Bible Society.

Anúncios

Sobre Vitor Hugo Mendes de Sá

Vitor Hugo Mendes de Sá é casado com Linéa Dias Mendes de Sá e tem duas filhas: Juliana e Mariana. É pastor por mais de 33 anos, evangelista, formado em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Tem cursos em clínica pastoral, capelania hospitalar, pós-graduação Latu Sensu em ciências políticas e educação(UNB), Liderança avançada pelo Instituto Haggai. É também, Bacharel em Direito(FDCI). Tem sido orador de conferências no Brasil e no exterior. Pastor da Primeira Igreja Batista na Penha-RIO. Autor dos livros: Orando com Propósito e Rompendo as Muralhas na Família, ambos publicados pela MK editora.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para E QUEM SALVA O JORGE?

  1. Kris Fatudo disse:

    Olha sempre acesso as msgs de vcs. Adorei essa última. Foi muito legal saber quem foi realmente Jorge. Muito obrigada. Gostaria de saber mais por que ele foi parar no candombré. Agradeço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s