mel“Como são doces para o meu paladar as tuas palavras! Mais que o mel para a minha boca!” (Salmo 119.103)

O salmista está interessado no paladar da alma, não da boca. Sua comparação é: assim como é doce o mel na minha boca, são agradáveis à minha alma as palavras do Senhor. Pessoalmente, gosto muito de mel, e cada vez que sinto o gosto de mel na minha boca, penso no prazer que é ter a Palavra de Deus no coração.

Primeiro, porque a Palavra de Deus no coração nos leva a não pecar contra Deus (Salmo 119.11).

Em segundo lugar, a Palavra de Deus é segurança para a nossa vida neste mundo. Como pode alguém viver nesta vida sem conhecer a Palavra de Deus?

Em terceiro lugar, a Palavra de Deus traz esperança em meio à dor, às tormentas  e vicissitudes  do nosso viver.

Finalmente, a Bíblia é o alimento completo e satisfatório para a nossa alma. Quem não se alimenta da Bíblia, perece de fome espiritual. Assim como é doce, suave, ler uma carta de uma querida mãe ou de um filho amado, é doce, suave, para os salvos, lerem a Palavra do seu Senhor. Para quem ama a Jesus, são suaves em sua alma as palavras de Jesus.

Com que sensação de delícia em sua alma você lê a Palavra de Deus?

Peça ao Senhor que faça você receber com prazer o alimento da Palavra de Deus. Amém.

 (João Falcão Sobrinho – Manancial)