Tags

, , , , ,

RoupaPor Juliana Beckert no Facebook – Hoje eu acordei tão feliz que não me aguentei e tive que compartilhar. Os que conhecem mais de perto nossa família sabem do susto que passamos com Mariana em 2011. Viajar juntos e ver a sua irmã de 22 anos em coma por 7 dias depois de um AVC é uma dor que nunca pensei que iria sentir. Os médicos diziam que provavelmente não sobreviveria ou teria sequela muito sérias, como perder a fala e a memória. A Mariana acordou rindo e falando em inglês. Quase nos matando do coração. O chefe da UTI nos olhou com lágrimas nos olhos e disse:”isso só pode ser um milagre”.Hoje, faltando menos de um mês para ela se formar em Medicina, recebo essa foto no whatsapp. Ela encontrou um homem esfaqueado na rua e conseguiu ajudá-lo. E disse: “acho que nunca estive tão feliz na minha vida”. Sei que alguns dos meus amigos não acreditam nas coisas que eu e minha família acreditamos, mas para nós, essas histórias são apenas mais uma prova do cuidado de Deus para conosco e com os outros. Eu não me canso de achar Ele o máximo! Nana, mal posso esperar para ver mais! Um beijo da irmã que celebra cada dia com você!

Por Lécio Dornas no Facebook– POR CRISTO, NÃO POR HIPÓCRATES! – O conhecidíssimo juramento que os formandos em Medicina fazem também, e não somente, no Brasil, obedece versões de um original atribuído ao chamado pai da Medicina, Hipócrates (460-370 a.C.), que declara o compromisso do médico formado em priorizar na sua vida a saúde e bem estar das pessoas. Assim, espera-se do médico que nunca deixe de prestar socorro ou de ajudar quem tem a vida em risco. É bem verdade que, não sem nos causar estranheza, vez por outra tomamos conhecimento de médicos que, mesmo vivendo sob o juramento afamado,’negam fogo’ na hora de prestar ajuda ou socorro.

Mas o que me alegrou agora pouco, foi saber que, por outro lado, há os que priorizam a dor alheia não pela formalidade de um juramento, mas pela força residente no amor do Evangelho. Logo, não por Hipócrates, mas sim por Cristo!
Foi o caso da Mariana Mendes de Sá, que, a um mês de sua formatura em Medicina, ao deparar-se, numa rua da capital paraense, com um homem vítiima de esfaqueamento, priorizou-o, prestando pronto atendimento e ministrando os procedimentos essenciais que o livraram do óbito. Gente, Mariana sofreu um AVC em 2011 e esteve à beira da morte. Deus a restaurou de forma maravilhosa. Hoje, feliz e cheia de motivação pelo avizinhado exercício da Medicina, mesmo antes de honrar Hipócrates, honrou Aquele que a revivieu. O seu Senhor que é o nosso Senhor; o seu Deus que é o nosso Deus. Obrigado Mariana por mais esta lição de vida!