Tags

, , , , , ,

santidadeO saudoso pastor Ivênio dos Santos, escreveu um livro com o título: “Santidade ao seu alcance”. Muitos poderão pensar na santidade como algo vulgar e barato, e tornar a graça preciosa em “graça barata”. O grande mérito deste título é a verdade maravilhosa que ele contém.

A santidade, realmente, está ao nosso alcance. Não está no topo de uma escada bem íngreme que temos de galgar por nossos esforços. Jesus está nos convidando a vir a Ele hoje mesmo, onde estamos e como somos: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mat. 11:28-30). Este maravilhoso convite não deve ser entendido apenas para a nossa salvação, mas também para a nossa santificação, porque “…como recebeste a Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele” (Col. 2:6).

A salvação não é uma questão de fazer, mas de receber. “…pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas (Ef. 2:8-10). Salvos pela graça para as boas obras e nunca salvos pelas obras.

No entanto, o que se percebe, tanto no Novo, como no Antigo Testamento, é que a santificação também é pela graça. Santidade é uma vida de vitória sobre o pecado, pela revelação de que estamos crucificados com Cristo, passando o pecado a ser um acidente de percurso e não mais uma norma, pois o pecado não tem mais domínio sobre nós.

No livro: “Retorno à Santidade”, o Dr. Gregory R. Frizzell,  destaca o desafio urgente para a igreja de Cristo neste tempo, qual seja, o de retornar à santidade, para que a nossa mensagem possa ocupar a relevância que o mundo espera.

Todos somos chamados a uma vida de santidade, pois como nos desafia o próprio Senhor Jesus Cristo, no sermão da montanha, devemos ser luz neste mundo e “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.”

(Transcrito e Adaptado)