Tags

, , , , , , ,

Tenho em minha biblioteca, uma pequena coleção de livros, nos quais o autor registra a história de alguns dos mais belos hinos que cantamos em nossas igrejas e que são cantados em todo o mundo. Em um desses pequenos livros, o autor escreveu:

Fanny Crosby, a famosa poetisa cega, após sua conversão a Cristo, orava muito e não fazia nada, nem escrevia nenhum poema, sem primeiro ajoelhar-se e pedir a direção de Deus. Tinha ela uma amiga, filha de um famoso evangelista, que a visitava muito. Chamava-se Phoebe Palmer. Numa dessas ocasiões, Phoebe sentou-se ao piano e tocou uma música de sua autoria; virando-se, viu que Fanny estava de joelhos, orando. Quando terminou de tocar, perguntou: “Fanny, a seu ver, que é que esta melodia está dizendo”? Fanny, prontamente, respondeu: “Que segurança; sou de Jesus!”. Assim, nasceu um dos mais belos hinos, dentre os mais de 8 mil poemas que ela escreveu”.

Há alguns anos atrás fui pregar em Bridgeport, Connecticut – EUA e fiz questão de ir na casa onde viveu Frances Jane Crosby, que nasceu em 24 de março de 1820 em New York e faleceu no dia 12 de fevereiro de 1915, onde o seu corpo foi sepultado no pequeno Cemitério de Bridgeport, Connecticut.

Em uma das lápides da sua sepultura estava escrito: Que segurança; sou de Jesus!” Não é preciso falar mais nada!!!