Pedimos no varejo e agradecemos no atacado

É uma evidente contradição: Temos muito mais a agradecer do que a pedir, mas pedimos muito mais que agradecemos. Ainda somos detalhistas meticulosos ao pedir e generalistas ao agradecer.

Parece que isso tem a ver com o modo como vemos a vida, sempre com o foco no que nos falta, no que ainda não recebemos; nunca no que já temos, já conquistamos e já recebemos de Deus. Enquanto olharmos assim, insatisfeitos, a vida; falaremos assim,  insaciáveis, com Deus.

A Bíblia orienta persistência no pedir (Mat. 7.7) e abrangência no agradecer (1 Tes. 5.18). O pedir com persistência pressupõe critério seletivo, foco e priorização de necessidades. O agradecer com abrangência pressupõe memória, atenção e valorização do que se recebeu. Maso homem inverte as coisas e tende ser abrangente no pedir e, por isso, acaba sendo seletivo no agradecer. E aí está posta a situação: Quem pede tudo, não sabe ainda do que precisa de fato; quem agradece pouco nunca valoriza o quanto já tem.

Em função disso, mesmo pedindo o tempo todo, ainda não aprendemos a pedir (Tg. 4.3); e, por agradecermos pouco, acabamos entre os que se esquecem de agradecer (Lc. 17.17).

É aconselhável, portanto, repetirmos hoje, a súpplica daquele discípulo do Senhor, cuja resposta resultou na extraordinária e conhecidíssima oração do Pai Nosso: “Ensina-nos a orar” (Lc. 11.1).

Uma resposta para Pedimos no varejo e agradecemos no atacado

  1. iTa disse:

    Meu Deus, ensina-me orar e ser mais grata!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s